Marilyn Monroe já cantava que o diamante é o melhor amigo da mulher. A publicidade já dizia que diamantes são para sempre. Aforismos à parte, a palavra diamante deriva do grego adamas (invencível). A pedra preciosa recebeu esse nome por não haver nada comparável à sua dureza, isto é, risca todos os outros materiais, mas não é riscado por nenhum.

A utilização do diamante na joalheria é bem recente em termos históricos. Poucos povos da Antiguidade o conheciam. Nem em túmulos reais da Assíria, Babilônia e Egito, repletos de joias suntuosas. E apesar de haver grande diversidade de gemas nesses tesouros, não foram encontrados diamantes.

Entre os povos ocidentais, os primeiros relatos sobre o diamante foram feitos pelos romanos e datam do século I D.C. E até o século XVIII, os diamantes eram encontrados apenas na Índia. Em  1726, a Coroa portuguesa recebeu com alegria a notícia de que diamantes haviam sido encontrados no Brasil.

Foi em Minas Gerais que os portugueses encontraram os primeiros diamantes garimpados no Brasil, nas proximidades da atual cidade de Diamantina, que na época chamava-se Arraial do Tejuco.

anel-3-fios-com-brilhante
Anel com fios de ouro e diamantes

Os cofres portugueses agradeceram. Esse achado teve grande impacto também no restante da Europa, que respirou aliviada, já que os depósitos aluviares da Índia encontravam-se praticamente esgotados.

Estima-se que tenham sido extraídos no Brasil aproximadamente 13 milhões de quilates de diamantes, entre início do século XVIII e o final do século XIX. Os diamantes eram monopólio da Coroa portuguesa, ou seja, não se permitia a presença de estrangeiros. Havia, então, um grande contrabando de gemas graças à corrupção reinante entre os encarregados de fiscalizar e administrar a extração. Na realidade, nada muito diferente do que se vê hoje em dia em nossos garimpos.

Só no século XIX, em 1866, foram encontradas, perto da nascente do rio Orange, as primeiras pedras no continente africano, na África do Sul, país que ainda hoje sustenta o título de maior produtor mundial de diamantes.

Até 1871 eram extraídos apenas de jazidas aluviares, através do processo de lavagem, até que foram descobertas as jazidas, de origem vulcânica. O diamante é formado a grandes profundidades, cerca de 80 km abaixo da crosta terrestre. Na África do Sul encontra-se a maior cratera já escavada por mãos humanas, com quase 500 metros de diâmetro e mais de 1 km de profundidade.

anel-ouro-branco-e-diamante-fred-pinheiro
Anel ouro branco 18k e diamante por Fred Pinheiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s